Todas as fotografias de hóquei em patins podem ser vistas aqui.

a Declaração Universal dos Direitos do Homem

a Declaração Universal dos Direitos do Homem

trinta e quatro anos. foi o tempo que demorei a ler a Declaração Universal dos Direitos do Homem. mea culpa (confesso-vos que me faz sentir envergonhada).

hoje celebra-se o aniversário dessa Declaração, proclamada a 10 de Dezembro de 1948, e que no seu preâmbulo se justifica, entre outros motivos, por se considerar

"que o desconhecimento e o desprezo dos direitos do homem conduziram a actos de barbárie que revoltam a consciência da Humanidade".

e porque hoje se celebra o seu aniversário, acabei por me cruzar com um post do Carlos Esperança no qual ele transcreve a Declaração. acabei, finalmente, por a ler (também está aqui em pdf).

vários, demasiados, foram os artigos que me chamaram à atenção. mas depois de ouvir a história do motorista hoje e de lembrar que em Portugal ainda há famílias de 3 e 4 pessoas a viver apenas com 2 ordenados mínimos, quando têm a sorte de ser 2, resolvi destacar os seguintes excertos:

Artigo 22º

Toda a pessoa, como membro da sociedade, tem direito à segurança social; e pode legitimamente exigir a satisfação dos direitos económicos, sociais e culturais indispensáveis, graças ao esforço nacional e à cooperação internacional, de harmonia com a organização e os recursos de cada país.

Artigo 23º

  1. Toda a pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha do trabalho, a condições equitativas e satisfatórias de trabalho e à protecção contra o desemprego.
  2. Todos têm direito, sem discriminação alguma, a salário igual por trabalho igual.
  3. Quem trabalha tem direito a uma remuneração equitativa e satisfatória, que lhe permita e à sua família uma existência conforme com a dignidade humana, e completada, se possível, por todos os outros meios de protecção social.
  4. (...)

Artigo 24º

Toda a pessoa tem direito ao repouso e aos lazeres e, especialmente, a uma limitação razoável da duração do trabalho e a férias periódicas pagas.

Artigo 25º

  1. Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente para lhe assegurar e à sua família a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda quanto aos serviços sociais necessários, e tem direito à segurança no desemprego, na doença, na invalidez, na viuvez, na velhice ou noutros casos de perda de meios de subsistência por circunstâncias independentes da sua vontade.
  2. (...)

e dei por mim a repensar a forma como olho para o mundo e a forma como avalio se esse país respeita, ou não, o que está (quase) universalmente consagrado como Direitos Humanos.

se não leram, façam um favor a vocês mesmos, ide ler.

Savuti #4

Savuti #4

preciso de um extra de paciência

preciso de um extra de paciência