Todas as fotografias de hóquei em patins podem ser vistas aqui.

Savuti #2

Savuti #2

saímos, mais uma vez, às 6:30h. fomos directamente para o local onde tínhamos visto leopardo a comer já que, de acordo com o Metal, os leopardos só abandonam o que estão a comer se uma hiena ou leão se aproximarem. para nosso azar foi isso que aconteceu, o elefante já não estava na mesma posição o que indicava que outro qualquer animal se tinha aproximado.

seguimos caminho. o leão devia andar por perto, dizia o Metal e com razão. pouco depois, virou-se e perguntou "estão a vê-lo?" éramos 6 no carro e todos respondemos "não!" (vejam vocês, não é fácil descobri-lo). 

da fuji X100s era assim que o via, um zoom equivalente ao olho humano para terem uma noção.

parou o carro e orientou os nossos olhos. e com olhos a lente da câmera foi atrás e a constatação evidente: o Rei da Selva tem uma vida melhor do que um cão, dorme o dia todo!

depois de quase 15m a olhar para ele a dormir, avançámos. sabíamos que outros animais nos aguardavam mais animados do que o rei da selva, que tem uma vida melhor do que a de cão: dorme e come o que a leoa caça.

e logo ali ao lado, os gnus, aos montes. consta que é altura de migrarem.

para logo depois ouvirmos o Metal "e ali está a leoa". olhámos e vimos árvores. "ali onde?" perguntámos. e lá a vimos. (estes guias têm mesmo um olho muito treinado, devo dizer, e ainda bem!)

e depois as zebras, que tal como os leopardos nos fazem perder horas a olhar a descobrir aquele momento para fotografar e registar. curiosidade, hoje enquanto fazia zapping ouvi "as zebras estão a chegar aos prados do Botswana" no National Geograpic e parei. o foco daqueles 5m eram uma zebra que não abandonava a sua mãe já morta. e lembrei-me de ter captado este momento (a primeira foto) e sorri apesar do desespero dela na tv.

a caminho da pausa da manhã, afinal já eram quase 9h, ainda voltámos a visitar o lugar onde no primeiro dia tínhamos visto os leões, para encontrar uma fêmea a tomar conta de 3 crias (eram 4, mas na euforia de brincarem entre elas uma delas acabou por morrer uns dias antes de nós de chegarmos, sob o olhar dos guias).

e finalmente, 2h30 depois de sairmos do lodge, parámos para repor as forças que o sol já aquecia mais do que é possível aguentar. no meio do deserto, 2m depois de passarmos por vários elefantes e aves, o Metal desligou o motor, saiu do jipe e montou a mesa de piquenique. bebemos café, chá e comemos biscoitos, enquanto ouvíamos as explicações do Metal sobre os 28 anos em que não houve água no Marsh e o que causa isso, rodeados por alguma vegetação e pela hipótese de, a qualquer momento, qualquer animal cruzar connosco.

e isto foram só as primeiras duas horas da manhã. conseguem imaginar o resto? :)

Savuti #3

Savuti #3

Savuti #1

Savuti #1